Jean-Blaise Grize sempre será considerado um dos mais importantes lógicos do mundo. Seus estudos forneceram contribuições fundamentais para a epistemologia genética e ps estudos de argumentação. Como Professor Honorário da Universidade de Neuchâtel trabalhou principalmente com epistemologia, lógica e psicolinguística. Especificamente, concebeu a lógica natural como um campo lógico. Este empreendimento contou com a colaboração de Marie-Jeanne Borel e do professor Denis Miéville que herdou a sua cátedra e a direcção da suas pesquisas. O professor Grize faleceu no dia 3 de agosto de 2013.

Curta biografia

Filho de Jean Grize, um diretor da escola, e Louise Dällenbach, Jean-Blaise Grize nasceu em Villars-Burquin em 16 de março de 1922, na Suíça. Ele mudou-se mais tarde com sua família para o município de Neuchâtel. Jean-Blaise Grize estudou matemática e se formou nas universidades de Neuchâtel e Louvain. Obteve o doutorado em 1954 na Universidade de Neuchâtel.

Iniciou sua carreira como professor na Escola Superior de Comércio e no Ginásio de Neuchâtel entre 1947 e 1960. Depois disso, tornou-se professor de lógica entre 1958 e 1964, professor na Universidade de Genebra de 1964 a 1968. Trabalhou também de 1958 a 1968 no Centro Internacional de Epistemologia Genética, dirigido por Jean Piaget. Mais tarde, o Professor Grize voltou à Universidade de Neuchâtel. Em 1969, lançou e dirigiu o mundialmente conhecido Centro de Pesquisas Semiológicas. Mais tarde, tornou-se reitor da Universidade de Neuchâtel, cargo que ocupou de 1975 a 1979. Ensinou também nas universidades de Besançon, Fribourg e Lausanne, além da Escola Prática de Ensino Superior de Paris, mantendo colaborações com a Universidade de Genebra. Por conta de suas contribuições, recebeu muitos prêmios importantes, como o título de Doutor Horis Causa das universidades de Besançon (1982), Genebra (1987) e Paris-Nord (1989).